quarta-feira, 21 de junho de 2017

RENOVAÇÃO


No vão de tuas coxas quentes

Minha boca, língua, dentes

Procuram a fonte do prazer...

A barba arranha levemente

Teus desejos indecentes

No anseio de te satisfazer...

 

Escapam entre meus dedos

Teus gemidos, teus medos

De se entregar por completo...

Sussurras inaudíveis versos

Em nosso vai-e-vem imersos

Refletindo no espelho do teto...

 

Teu ventre sedento de amor

Se retorce em espasmo indolor

Cavalgando em doce deleite...

Seios cheirosos tal qual uma flor

Rosto esperando em leve rubor

Que, entregue, cansado se deite...

 

E assim passaram-se os dias

Entre o frio daquela invernia

A vibrar por simples viver...

Renovou tudo quanto havia

E por medida não se avalia

O tamanho desse querer.

LAÇOS




Sob o manto das estrelas

Em noite escura e fria

Caminhando no passado

Revivendo a nostalgia...




Entrelaçados pela vida

Nas nuances do tempo

Duas Histórias revividas

Neste breve momento...





O cheiro intenso de amor

Se espalhou pelos rincões

Do inverno se fez calor

Deixou florir as Missões...




A distância proibitiva

Se tornou coisa menor

Quando o querer ativa

A se darem seu melhor...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Entre vida e morte

Ah, esse intervalinho entre o nascer e o morrer... Demoram para chegar nossos 18 e quando vem nos carregam em desabalada correria... Parece que a vida é tão curta vista da ótica do meio para o final... Precisamos compensar isso com qualidade... Se soubesse antes não teria fumado tanto... Se soubesse antes teria aprendido mais... Se soubesse antes teria viajado mais... amado mais... se soubesse... Pois é! Para saber tive que viver... As coisas se complicam as vezes... as vezes complicamos elas... Quero levar na minha bagagem as boas histórias, as descobertas, as amizades infindas, o sabor da vitória, o amor, enfim... Quero levar a certeza de ter feito o máximo para ser feliz... ter feito o máximo para compreender a solidariedade e ter feito tudo de mim para servir ao bem comum... Os meus erros? Deixarei de herança escritos em algum blog pela internet afora para que sirvam de exemplo aos menos avisados... Agradeço sempre a vida que levo mas desconfio que deixei passar alguma coisa despercebida... Talvez na certeza do ir e vir constante até o aperfeiçoamento do espírito... 

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

VERDADES

Na serenidade do entardecer, sorvendo o amargo e repassando a vida,
me questiono sobre o que fiz para tornar meu próximo mais feliz???
São essas pequenas levezas do ser que nos fazem amadurecer e
nos despertam o verdadeiro significado da vida...

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

ENSAIO SOBRE A LOUCURA

Meus filhos desconfiam dessa
minha sobriedade. Todos, aliás.
Estas sombras que me perseguem,
apenas elas creem em mim...
Os caminhos estão tão tortos,
Os olhares cada vez mais turvos,
Meu semblante se assusta
e assusta os que me rodeiam...
Como ajudar-me se nem sei quem sou?
Nasci menino com brilho no olhar,
cresci bom moço de pouca tutela,
vivi acreditando na honra e justiça...
Agora me deparo com isso:
-Meus princípios arcaicos.
Estou fora de moda, vestido
com roupas ultrapassadas,
Mendigando ética em meio de
corruptos, falando de amor no
meio de tecnocratas espúrios.
E essas sombras que me perseguem...
Sombras da criança pura, do
jovem responsável, do adulto maluco!

SOL NO INVERNO

Tento escapar deste inverno
correndo para junto do Sol...
Meus caminhos entrecortados
por arestas cinzentas de uma
aurora turva teimam em se
enegrecer do escuro soturno...
Como um moribundo ofegante
me atiro em corrida louca a
um sopro de vida que se esvai
e se limita não mais que um segundo...
Sol que trás luz infinita ao mundo
se te apagas eu sumo... Se durmo
não acordo, receio... Faz-me preso
ao teu espesso clarão divino e uno...
Me agarra pelos cabelos, que seja...
mas me segura com força, para que
não te fuja...

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Uma brisa

Sou teu espelho...
Tu és o meu...
Te darei mil poemas
E nenhum terás tu!
És etérea, fugaz
Como um brilho!!!
E os brilhos são tão instantâneos,
Que se não os notarmos,
Não os vemos!!!
Apenas teremos uma sensação,
Um sabor de já foi...
Ainda bem que te vi brilhando.
Te notei inteira.
Te senti nos braços
E molhei-me de ti...
Quem sou eu para te dar um poema...
Olhe para dentro de ti...
A coisa mais linda que já descrevi.